Associação Cultural Humaitá

Agbegbe fun ijosin ti orisá ati Umbanda
As “graças” de Pai Xangô!!

Jesus salve a Umbanda!!

Não é novidade. Não é notícia nova. Disso todos sabemos: vivemos tempos difíceis em todos os sentidos humanos. Nas hierarquias sociais, de cima para baixo, de baixo para cima, do lado direito, do lado esquerdo, a crise de caráter, de tracos de personalidade, atingem todos os níveis e camadas sociais.

Em um olhar amplo, percebemos um País como uma panela de pressão muito quente!! Reduzindo o olhar para nossas cidades, e mais ainda para o dia-a-dia de nossas vidas, nossas famílias e grupos de amigos, enxergamos uma realidade mais palpável, em que podemos ver pessoalmente e sentir pessoalmente o desequilíbrio.

Uma rápida leitura de antropoligia, ou até mais facilmente de história, vamos descobrir algo assustador: o caráter nunca foi uma qualidade, uma idéia buscada pelos homens. Desenfreados, sem qualquer freio psicológico, homens destruíram outros homens através da política, da religião do direito, do comércio, etc…

Alertados, avisados, advertidos, poucos, raros homens preocuraram ter esta qualidade, ou procuraram consertá-la…

E agora, novamente ressurge esta crise…

O que este pecador filho de Xangô deseja é que nos voltemos para o Orixá da Razão, Pai Xangô! De toda uma linda e brilhante Coroa de Orixás, me parece que é esta a Divindade com os atributos específicos para este momento de grave desequilíbrio de caráter, de personalidade, de emoções.

É de bom alvitre, de boa recomendação, se buscar o equilíbrio emocional para que os problemas posam ser percebidos, descobertos, mostrados para todos os envolvidos. Identificados os problemas, utilizando a razão, serão encontradas as mais indicadas soluções.

Passo final, as decisões mais justas serão tomadas, mais equilibradas, baseadas na justiça, no bom senso, escudadas tão somente pela razão…

Pois Xangô tem estes atributos, estas qualidades. Vibra em Xangô, e se espande deste Orixá Monarca, o axé da graça do equilíbrio, da razão, da inteligencia sobre a emoção, da capacidade de ver, saber, identificar e fazer o que é certo mais rapidamente.

Xangô tem estas graças, concedidas a ele para que repassasse a nós humanos. Aliás, nós humanos perdidos e desarrazoados somos o objetivo do Rei Xangô.

O Apóstolo Paulo sempre dizia ao final de suas despedidas a um amigo: que a graça do Senhor seja convosco!

ASSIM, QUE A GRAÇA, O AXÉ DE XANGÔ SEJA CONVOSCO MEUS IRMÃOS!

Saravá a todos vocês.

José Augusto da Cunha Meira

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.