Associação Cultural Humaitá

Agbegbe fun ijosin ti orisá ati Umbanda

Então, chegamos a um ano da pandemia do novo coronavírus, SARS COV-2. E continuamos em nossa grande maioria, “mais perdidos que cego em tiroteio” como diz a expressão popular. Enfrentamos uma guerra política, de um país sem comando, e não porque não temos um presidente da república, e sim porque o poder judiciário de nosso país resolveu instalar a sua ditadura, onde quem aqui manda, é nosso STF ou Supremo Tribunal Federal. Vivemos um estado de sítio, ou, perdão, não podemos dizer isso, mas algo muito pior, onde nossas liberdades foram totalmente cassadas, inclusive nosso direito de trabalhar para viver. Muito fácil de fazer isso não é, quando se tem seu salário garantido pelo estado, e o ego se fortalece a cada momento: -Fique em casa, porque eu estou mandando”.

Você pode ser a favor do fique em casa, ou contra, está tudo bem, faça o que você acredita ser o melhor. É a favor do tratamento precoce? Não? Tudo bem também, faça o que acha que é certo para você. Só não seja o grande mensageiro de Ikú(a morte).

A pior coisa que tenho visto nestes tempos é a maioria de umbandistas burros, ops, perdão seu burro, você não merece ter seu nome vinculado a esse povo. Bem, digamos que são religiosos preguiçosos que tem verdadeira ojeriza pela leitura e pelos estudos. E não digo somente os estudos da religião, sua história, teologia, teogonia, etc, mas o estudo para poder viver de maneira saudável, e não ser mais um formando das universidades do “facebookson”, “instagranson”, e tantas outras besteiras deste tempo. Preguiça de ler, estudar, buscar a verdade, e tentar entender o que está acontecendo em nosso mundo, tanto pela perspectiva religiosa, quanto científica e humana.

Religiosos que confiam somente na sua intuição, sendo que esta é na maioria das vezes falha, pois é poluída pela mente doentia do ser humano, e não se dignam em ler algumas linhas deixadas pelos que nos antecederam e tiveram um pouco mais de experiência que nós, além de propagar todo tipo de besteira, tanto espiritual quanto de seus profundos estudos do facebookson.

Me perdoem o tom um pouco raivoso quem sabe, mas na realidade é o tom de alguém que está cansado de corrigir as mancadas e o fel destilado pelas mentes doentes daqueles que deveriam ser a linha de frente nestes tempos. Me diga: O que você ganha falando para seu irmão algo do tipo: -Olha, creio que o pior está por vir!!!, ou: -O vírus é extremamente o mortal dos mais mortais vírus que a humanidade já viu! Ah, tem coisa pior sendo feita: Umbandistas que fazem questão de ameaçar um coitado que trabalha na rua, só porque está sem máscara. Me diga: O que ganham com isso? Será que não passa pela cabeça que aquele próximo está trabalhando de dia para levar o pão a noite para seus filhos? Vocês sabem o que é sentir fome? Já passaram por isso? Onde está a empatia pelo próximo que tanto vocês propagam dentro dos terreiros ou quando enchem o peito para dizer: Sou Umbandista.

Pra que replicar o que as grandes mídias falam tanto, carregadas de interesses escusos por trás disso, e não procuram se informar um pouco? São milhares de estudos em pré-prints e estudos já publicados em revistas científicas, desmentindo a grande maioria do que é propagado a quatro cantos? Lockdown funciona? E a mutação do vírus, chegou agora aqui? Porque ela aconteceu? Você sabe? Bem, não serei eu que contarei, procure, leia, estude.

Me poupem, bando de hipócritas, sepulcros caiados com dizia o mestre. São belos por fora, tem a fala mansa, mas por dentro são podres.

Onde está a caridade, a força que levanta as pessoas, que afasta o medo, as incertezas, dando quem sabe, o que não se tem, mas incutindo em seu irmão uma fé inabalável? Talvez não seja o que está faltando para o mundo neste momento?

Minha conclusão: A maioria dos umbandistas não servem para usar as guias que colocam no seu pescoço, nem vestir o branco que procuram deixar limpinho, esquecendo de clarear seus corações e mentes. Não servem para usar as guias porque são fracos, da mente e do corpo, fogem no primeiro combate, não conseguem marchar na linha de frente. FRACOS. Ninguém precisa ser forte o tempo todo, mas se você está na guerra, pegue suas armas, de a mão ao seu irmão, vamos para batalha, e defendamos uns aos outros. Somos irmãos, todos no mesmo front de batalha, ninguém é privilegiado, mas você, que quer usar guias e vestir o branco, seja como um soldado raso: Lute ou morra no campo de batalha, sendo um fraco.

Fontes de pesquisa:

https://www.lifesitenews.com/news/stanford-study-lockdowns-have-no-significant-effect-in-reducing-covid-19-may-even-spread-it

http://www.mpf.mp.br/go/sala-de-imprensa/noticias-go/mpf-compartilha-nota-tecnica-sobre-assistencia-integral-a-pacientes-de-covid-19

http://www.gaz.com.br/conteudos/viniciusmoraes/2021/03/02/177132-tratamento_precoce.html.php

https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fphar.2021.643369/abstract

https://www.dailymail.co.uk/news/article-9297449/Drug-used-treat-lice-scabies-drug-cut-Covid-deaths-75-research-suggests.html?ito=amp_whatsapp_share-top

https://www.insauga.com/mcmaster-university-led-team-studying-covid-19-drug-treatment

https://www.researchgate.net/publication/349880019_Mutation_hotspots_geographical_and_temporal_distribution_of_SARS-CoV-2_lineages_insights_and_limitations_from_uneven_sequencing_efforts?utm_source=twitter&rgutm_meta1=eHNsLVpFN3YzSEcvK0p3ZEFQVXVyN2RXcHZMbDJXRXgrWDE0Q0s5a1NmK3NKVmRYckRmZ3lWeEtmRzVyaG5GSFRXMldSNjAwMUxwU0F3M0RiNGwwaUZkK2p3PT0%3D

https://www.cureus.com/articles/52299-proxalutamide-significantly-accelerates-viral-clearance-and-reduces-time-to-clinical-remission-in-patients-with-mild-to-moderate-covid-19-results-from-a-randomized-double-blinded-placebo-controlled-trial

1 comentário em “Quem é você nesta guerra que vivemos?

  1. Quem é você neste guerra???? Um texto que grita, que alerta, que esclarece e faz acordar!! Um texto que vem na hora mais escura do Mal que estão fazendo com este povo sofrido. Então que este texto seja a luz…só um filho de Oxala poderia dar este grito…parabens Pai Michael de Obatalá, o nosso painho da criação…

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.